coloque seu e-mail

Leve pensamento

sábado, 1 de junho de 2013

momento poesia

Balada de um amor infante.

escrito por : 
Pedro Ivo

Pequena,bela e meiga.
Era assim que todos os dias eu à via 
a passar por sua rua.
Seus olhos cintilavam os meus
como todo seu corpo de sol.

Sendo dela. Minhas mãos caminhavam em seu corpo
seus delírios e virtudes se misturavam numa louca sensação
de prazer e medo.sua face era minha,e mesmo que eu não o sentisse
o suor de seu corpo o fazia.

era selvagem e bondosa,
preferia eu assim como todos os outros,
suas duas faces juntas como um centavo qualquer 
que caído a o chão.

Olhos temerosos de uma 
criança em meio a tempestade 
se vendia em meio a margem
em meio a depressão.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário